Como homens e mulheres ficam excitados?

Imagine um homem caminhando pela rua, distraído, quando repara numa garota de calça branca bem justinha vindo na direção contrária. Ela passa, ele torce o pescoço. O cérebro interpreta esse estímulo visual como tesão e, em menos de cinco segundos, começa a bombear sangue para inflar o pênis. Pronto, ali está a ereção e a disposição para o sexo – ainda que o máximo que ele possa fazer com aquela protuberância seja disfarçar e seguir andando. Ele não precisou conversar, nem ser tocado fisicamente para ficar excitado.

Agora imagine essa mesma garota dobrando a esquina quando dá de cara com o tal homem. À primeira vista, ele faz o tipo dela: barba rala, camisa xadrez, braços torneados. Mas seu cérebro precisaria de muito mais para pensar “hum, que vontade de transar” e acionar o resto do corpo. Suponhamos que eles se conhecessem, ele a convidasse para um sorvete, tivesse um papo ótimo e lhe tascasse um beijo com aquela pegada. Então, depois de uns trinta segundos de estimulação tátil, ela perceberia a lubrificação de sua vagina (tão importante quanto a ereção no homem).

Esse exemplo funciona para explicar duas coisas fundamentais: 1. o órgão sexual mais importante está dentro da nossa cabeça, não entre as nossas pernas; 2. nosso organismo reage em fases que compõem o “ciclo de resposta sexual”. Quem investigou isso aí foi um médico chamado Williams Master e sua assistente Virginia Johnson, lá nos anos 1960. Os dois enchiam voluntários de fios e, acredite!, ficavam atrás de um vidro do laboratório assistindo-os se masturbando e fazendo sexo. Monitoraram mais de 14 mil orgasmos.
Ao longo das décadas, o estudo pioneiro foi sendo aprimorado por outros pesquisadores como Helen Kaplan. Sem blablabla científico, eis o que acontece com o nosso corpo em cada uma dessas quatro fases:

infografico.jpg

Curtiu? Compre seu lubrificante K-MED clicando aqui!

“Será que eu gozei?” 10 dicas de como identificar se você chegou lá MESMO

Não tem regra nem receita. E nem toda mulher consegue reconhecer quando está chegando ao êxtase. Até porque, ter um orgasmo nem sempre envolve uma super reação “sobrenatural” ou exagerada – pode ser algo rápido ou até mesmo imperceptível. Mesmo assim, alguns sinais podem indicar que a melhor sensação do mundo acabou de acontecer – ou está muito perto de.

Confira:

1) Há uma contração involuntária dos músculos do assoalho pélvico, das pernas e até dos braços. Depois disso há um reflexo corporal, como se você levasse pequenos choques em algumas partes do corpo.

2) A respiração fica mais acelerada e ofegante e a mulher sente ondas de calor da ponta dos pés à cabeça.

3) Útero, vagina e ânus têm contrações simultâneas e muito, muito rápidas: geralmente são entre 3 e 15 contrações em intervalos de 0,5 segundos. O útero costuma inchar, chegando a dobrar de tamanho. Cerca de 15 minutos depois do gozo, ele retorna ao seu estado natural.

4) Há uma necessidade, ainda que inconsciente, de fechar as pernas, como uma fora de pressionar o clitóris, já que ele fica mais sensível.

sunset-691995_1280

5) E por falar em clitóris, quando a excitação atinge o auge ele fica mais inchado e ganha uma coloração mais avermelhada. O mesmo acontece com a vagina, os grandes e pequenos lábios e as bochechas. O motivo é a maior irrigação sanguínea

6) A lubrificação é potencializada quando você está quase chegando lá. Isso é mais perceptível quando a mulher está prestes a gozar com a penetração vaginal: o pênis entra e sai com mais facilidade e fica mais úmido.

Vale lembrar que mesmo que você transe com a mesma pessoa, a resposta aos estímulos e os orgasmos nunca se repetem. Então, fica uma dica preciosa: nada de ficar relembrando mentalmente nessa listinha na hora H. Aproveite cada segundo e todo o prazer que a relação pode proporcionar!

Via Uol Notícias

Pra não dar ruim: cuidados para não sofrer lesões na hora H

Segundo especialistas, não só os movimentos do dia a dia e acidentes podem causar lesões musculares e dores na coluna, mas as posições sexuais também são responsáveis por quadros médicos que, certamente, ninguém está disposto a vivenciar.

Confira no infográfico:

Attachment-1.jpeg

É surpreendente! Conheça 4 coisas que acontecem no organismo durante o sexo

Ilustração: Raffaele Marinetti

Gozar é incrível e isso não podemos negar. Mas melhor ainda quando a atividade sexual traz outros benefícios para a nossa saúde física e mental. Aqui estão alguns deles:

Melhora nosso olfato
O doutor Samuel Weiss e outros pesquisadores de uma universidade canadense estudaram os impactos da relação sexual nos nossos sentidos. E a descoberta maravilhosa foi: ao atingirmos o orgasmo, o hormônio conhecido como prolactina aumenta no corpo, originando novas células do bulbo olfativo. Ou seja, quando gozamos, estamos estimulando de forma maravilhosa o nosso olfato – e melhorando a nossa forma de sentir os aromas por aí.

Minimiza dores musculares
Especialista em Neurociência, o professor doutor Barry Komisaruk diz que gozar pode ser responsáveis por inibir a dor. Segundo ele, pesquisas revelam que o orgasmo impede que ocorra a liberação de transmissores da medula espinhal, que correspondem a dor para os neurônios. Gente, olha isso: QUASE UMA MORFINA NATURAL.

Previne episódios de insônia
Sabe aquela molezinha maravilhosa que a gente sente depois de um sexo bem feito? Pois é. Pesquisadores afirmam que os hormônios liberados no auge do vamo-vê funcionam melhor que muitos remédios para dormir que são vendidos por aí.

… e até mesmo algumas doenças!
Ter uma vida sexual ativa pode prevenir muitas doenças. Nos homens, principalmente o câncer de próstata. Além dela, doenças cardíacas e derrames também podem ser evitadas com sexo. Antigamente, acreditava-se facilmente que as relações sexuais poderiam ser culpadas por infarto, mas isso provou-se ser apenas um mito. AINDA BEM, NÉ? Se é pra morrer, só se for de tanto gozar.

Mas não esquece: camisinha SEMPRE, pois as DSTs ainda estão por ai 😉

Pênis funcional e Inteligência Artificial: os bonecos vão superar os homens na hora do sexo?

(fotos: Reprodução/Divulgação)

Ok, já existem vários modelos de boneca sexuais ultrarrealistas, capazes de enganar facilmente qualquer desavisado por aí. Agora, chegou a vez dos robôs masculinos com pênis funcionais e equipados com inteligência artificial darem as caras.

male-sex-robot-realdoll-1192241

Assustador? Bom, uma coisa é certa: especialistas do mercado erótico já estão convencidos de que bonecos sexuais masculinos irão substituir, de vez, os homens no quarto.

A empresa por trás disso se chama Realbotix, responsável pela boneca Harmony, a primeira robô sexuai capaz de interagir com o usuário com essa finalidade. Sua versão masculina, ainda sem nome, contará com as mesmas especificações de software da Harmony, com a adição de um pênis funcional e que promete proporcionar prazer tão ou mais intenso do que um companheiro “vivo”.

male-sex-robot-realdoll-1192232

A Harmony, por exemplo, consegue exibir várias expressões faciais durante o ato, além de piscar os olhos, mover a cabeça e mexer a boca de acordo com os sons emitidos. O mesmo acontecerá com o robô masculino, mas ainda não ficou claro se a IA será empregada para influenciar o seu comportamento, ou se será responsável por guiar os movimentos do pênis robótico.

Estamos ansiosxs para conhecer a novidade!

Pesquisa desvenda as preferências sexuais e o comportamento dos brasileiros na Hora H

foto: reprodução

Veja a seguir alguns insights sobre a pesquisa e o infográfico completo sobre o comportamento dos brasileiros quando o assunto é sexo.
xxx

Via Sexlog.com

Sexo anal sem mistério: veja alguns mitos e verdades

A região anal é uma área extremamente erógena, por isso deixar o preconceito de lado pode proporcionar uma experiência intensa de prazer. Confira algumas informações importantes antes de realizar a prática e, depois de ler tudinho, corre na nossa loja virtual para conhecer algumas opções de sex toys que vão deixar a transa ainda mais deliciosa!

15095557_779561185516267_810629071844264470_n15085551_779561192182933_3203759132620226325_n15135982_779561178849601_4278042313360719918_n15181115_779561155516270_3081677588203608867_n15109355_779561158849603_6891329651391759522_n

15181457_779561222182930_8164449504660418409_n15134636_779561232182929_7013449058875068417_n15202654_779561198849599_5224918399592612712_n

Via Revista Azmina